The Asylum For Wayward Victorian Girls


Oi, leitores!

E estou eu aqui com mais um post, desta vez sobre o livro “The Asylum For Wayward Victorian Girls”, escrito por Emilie Autumn, artista que já citei rapidamente no meu post anterior.

Uma das músicas dela para que vocês conheçam:

Descrição, em tradução livre:

Indeciso nas estantes em algum ponto entre estudo psicológico, história de horror histórico e ficção fantástica, fica o livro autobiográfico de estreia de Emilie Autumn, “The Asylum for Wayward Victorian Girls.” (N/T: algo como “O Hospício para Garotas Vitorianas Rebeldes”).

Escrito e ilustrado pela rock star notoriamente maníaco-depressiva, esta narrativa arrepiante reúne humor, drama e suspense para produzir uma descrição do pesadelo de gelar o sangue que é a vida dentro de um hospício, comparando aqueles da era vitoriana com a versão moderna dos nossos dias, e provando, através de suas próprias experiências pessoais, que pouco mudou de lá até hoje.

Coletado diretamente de entradas de diários da vida real da EA (N/T: EA = Emilie Autumn, abreviação normalmente usada entre os fãs), a história começa com a tentativa de suicídio de Emilie e imediato aprisionamento dentro de um hospital psiquiátrico. Sem poupar detalhe algum, Emilie nos mostra exatamente o que se passa dentro desta casa de horrores, expondo os segredos que o público em geral nunca poderia ter imaginado. Narrado com o humor sarcástico e auto-depreciativo presente em todos os trabalhos da EA, muito do tema em questão pode ser considerado polêmico. Ainda assim, da mesma forma que nas letras de sua música, Emilie conta a verdade a todo custo, impulsionando o leitor corajoso em um narrativa de seus episódios bipolares enquanto eles estão acontecendo, fornecendo inclusive fotos – sangue, cortes, e tudo mais.

O conto toma um rumo inesperado quando, estando ainda na ala psiquiátrica, Emilie descobre provas de uma dimensão paralela – um mundo que logo se torna indiscernível do dela própria. Conforme os dias passam, os mundos aparentemente díspares das duas personagens principais da história (Emilie e Emily, a personalidade vitoriana da EA) começam a se fundir, deixando o leitor, assim como a autora do livro, um pouco confuso sobre as narrativas serem verdadeiramente autobiográficas ou se a EA conseguiu sem falhas metamorfosear perfeitamente a narração da vida real em ficção histórica extremamente bem pesquisada.

“O Hospício…” não é todo tristeza e desgraça no entanto. É um thriller de distorcer a realidade, bem como um conto profundamente fortalecedor sobre sofrimento, fraternidade e vingança, que culmina no que seja talvez um dos mais eletrizantes suspenses de todos os tempos. O elenco pitoresco de personagens do livro (médicos diabólicos, doentes mentais, e ratos pestilentos falantes e sanguessugas bebedoras de sangue com os quais os fãs da música da EA já estão familiarizados) completamente entretém, educam e suprem o leitor com um material primoroso para filme. “The Asylum for Wawyard Victorian Girls” vai deixar os fãs chocados e leitores em todos os lugares com falta de ar.

Cada uma das 266 páginas em cores muito bem encadernadas em capa dura está positivamente repleta de memórias escritas à mão, pinturas sofisticadas, e esboços dos habitantes do Asylum. Em talvez a mais perversa reviravolta de todas, esta publicação não indicada para crianças disfarçada como um livro infantil de atividades de última linha, completa-se com elementos interativos, incluindo notas, padrões artesanais, e testes para o leitor concebidos para perturbar e deliciar. Esta monumental demonstração de talento literário e artístico requer um lugar em sua mesa de chá, bem como sobre a sua mesa de cabeceira, embora, leitores, cuidado – você nunca vai pensar no seu médico exatamente da mesma maneira novamente.

Prepare-se para entrar num mundo que a maioria reza para que nunca visite. Mas cuidado: É muito mais fácil entrar no hospício do que sair…

Do mesmo jeito que o último livro sobre o qual falei, também não existe tradução deste em português (e muito provavelmente nunca vai haver – há ilustrações que contém textos, assim como páginas que são reproduções de manuscritos de diários da Emilie, então, é quase certo que não haverá  (e nem download pirata, pois é um livro grande e não creio que fã algum desmontaria o livro pra escanear e postar online).
Site oficial da cantora: http://emilieautumn.com/
Site onde o livro pode ser comprado: http://www.asylumemporium.com/Asylum_Book_p/book01.htm (é necessário ter cartão internacional e paciência com a entrega – tive um certo estresse com o recebimento do meu próprio exemplar, mas foi prontamente resolvido).

Até o próximo post.

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s