Resenha Nunca diga adeus – Doug Magee



Com apenas 9 anos, Sarah está prestes a viver uma grande aventura: vai viajar sem os pais pela primeira vez na vida. A viagem tinha tudo para ser feliz e inesquecível, mas logo se transforma num terrível pesadelo.
Sem o marido para ajudá-la, Lena, mãe de Sarah, confere e assina os documentos autorizando a ida da filha. David saiu de casa cedo dizendo que recebera uma ligação do trabalho. Mais uma desculpa esfarrapada que ela não engoliu. O casamento está em crise, mas ela acredita que os dois vão conseguir se acertar no período em que a menina estiver fora.
Já pensando nos momentos a sós com o marido, Lena entra em pânico quando uma segunda van chega para buscar Sarah. Pouco depois, ela descobre que o primeiro motorista não faz parte da equipe do acampamento e que sua filha e outras três crianças foram sequestradas.
Após algumas horas, os criminosos enviam um e-mal exigindo 1 milhão de dólares para libertar as vítimas. Mas as condições para a entrega do dinheiro lançam suspeitas sobre alguns dos pais, e os casais começam a se voltar uns contra os outros, expondo seus segredos e relacionamentos já desgastados.
Neste suspense de tirar o fôlego, o desespero e a ganância levam algumas pessoas a tomar decisões impensáveis. Mas a fé e a intuição sempre podem superar as dificuldades.

            Já inicio essa resenha confessando “esperava que esse livro fosse apenas mais um suspense”, que envolveria questões referentes apenas ao sequestro das crianças, seus desdobramentos e assim por diante, e também não esperava muito, este sendo o primeiro livro que Magee escreveu no gênero diferente dos outros que já tinha experiência.
            Meu pensamento era que a sinopse exagerava um pouco, como acontece com alguns livros, mas, ao chegar na metade da história, percebi o quanto Doug Magee trabalha de maneira maravilhosa todas as linhas de pensamento do livro, a trama que tece ao decorrer da história, todas muito bem interligadas, que te fazem sempre querer ler o próximo capítulo (sim, isso aconteceu comigo e fiquei até quase 5h da manhã lendo), o livro realmente faz com que você queira saber o que acontece a seguir, tanto na questão do sequestro quanto em como os pais das crianças lidam com isso.
            Quanto a parte gráfica, o livro ficou bem legal, tem um tamanho de fonte bom para ler sem cansar demais a visão, e o autor soube medir bem a extensão dos capítulos, pois em romances desse tipo, policial psicológico, se os capítulos forem muito extensos fica cansativo e difícil de ler. O título do livro faz referência a um “ensinamento” dado pela avó de uma personagem do livro, que diz que você nunca deve dizer/acenar adeus a pessoas que quer voltar a ver. Quanto a capa, mesmo sendo bem simples, achei interessante, transmite bem a ideia do livro utilizando poucos elementos.
            É um livro tanto para quem gosta de um bom caso investigativo quanto para quem gosta de análises psicológicas de personagens, o que tem bastante na história, já que é um dos pontos do livro.
            Uma coisa que me chamou a atenção, particularmente falando, foram as atitudes dos jornalistas com relação à privacidade das famílias envolvidas no caso, pois foi algo que estava estudando esse semestre no curso de jornalismo; em certos momentos de alguns casos desse tipo deve existir uma discussão muito forte entre o que é correto ser divulgado, aquilo que não vai ser prejudicial ou invasivo demais na vida das famílias, mas também quando conseguimos algum furo do caso, que mesmo invadindo um pouco a vida privada dos envolvidos, nós sentimos uma necessidade de divulgar, pois aquilo pode valer uma promoção, porém aí entra o lado ético do jornalismo, que muitas impede de publicar determinadas coisas. Achei que isso também foi bem abordado, provavelmente pelo fato do próprio Magee ser um fotojornalista, então já entende bem do que colocou na história.
Nota: 5 torrões de açúcar
Ficha técnica do livro:
Título original: Never wave goodbye
Autora: Doug Magee
Páginas: 240
Tradutor: Celso Nogueira
Editora: Arqueiro
Ano: 2012
Bem, espero que tenham gostado desta resenha, e que se interessem pelo livro, pois é muuuuito bom mesmo.
Anúncios

Thales Moreira

Thalles Marques (O Poderoso Chefão) Nascido em uma cidadezinha minúscula do interior de Minas Gerais, as fronteiras daquele lugar não impediram que fosse diferente de grande parte das pessoas da cidade, e seu interesse por leitura de vários tipos (exceto clássicos portugueses e brasileiros, os quais abomina até a morte!) fez com que encontrasse outras pessoas muito interessantes de outras cidades, que tinham o mesmo vício infinito por livros. Foi de uma destas amizades feitas em chats sobre séries e livros que nasceu o Our Cup of Tea. Sua série de livros preferida é Harry Potter, e muitos que convivem com ele todos os dias já não suportam mais ouvir falar do "Menino que sobreviveu". Cursa Jornalismo, mas não vê a hora de poder pegar o diploma e iniciar mais uma faculdade, desta vez enveredando pela área jurídica. Também faz eventuais postagens no blog Los Moderninhos, na coluna Moda e Livros, onde fala de livros com temas relacionados a moda, e participa da Revista Brasil Literando, voltada para o público literário brasileiro, com a coluna de entrevistas e revisando a diagramação.

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s