Resenha Os 13 Porquês – Jay Asher


Essa resenha vai ser um pouco resenha e um pouco desabafo (a parte do desabafo vai ser rápida, acho).

Primeiramente, o desabafo. Enquanto eu lia o livro, não resisti e fui procurar algumas outras resenhas. A maior parte delas eram negativas. “A Hannah é muito fraca como heroína”, e “não consegui me identificar com ela”. Uma pessoa chegou a escrever que “ninguém se mata por ‘motivos’, e sim porque existe um “inseto na sua cabeça, comendo seus pensamentos”. Eu acho que é justamente o contrário. Ninguém acorda um dia pensando “sabe, acho que hoje é um dia bom pra me matar”. Motivos dos mais diversos levam uma pessoa à isso. E quando você lê o livro, você consegue entender os da Hannah, e até dar certa razão a ela.

Bom, vamos à resenha propriamente dita. O livro é dividido em 15 capítulos. O prólogo, os 14 lados das 7 fitas, e um epílogo. O prólogo e o Epílogo são totalmente contados do ponto de vista do Clay. Os demais alternam a narração da Hannah (em itálico) e os pensamentos do Clay ao ouvir as fitas. As fitas destroem o Clay. E com motivo, ele era meio apaixonado por Hannah, mas tímido demais pra fazer alguma coisa. E, pra ajudar o estado mental do guri, as fitas foram apenas enviadas à pessoas que tinham alguma mão, direta ou indiretamente na decisão dela.

E como eu disse mais cedo, você consegue dar razão à Hannah. Hannah era a garota nova, e de repente toda sorte de boatos maldosos foram surgindo sobre ela. Ela não tinha amigos. A escola não era um lugar seguro. Subitamente, a casa dela também deixou de ser esse lugar seguro. Ninguém percebeu alguma coisa errada com ela. Fiquei com a sensação de que ela era totalmente invisível.

Importantíssimo ainda, no final do livro consta os números dos centros de ajuda, caso o leitor perceba “sentir algum dos sintomas” da Hannah (ou conhecer alguém que os sinta). E é aí que percebe-se o quanto estamos mal equipados pra lidar com isso. Existem, se muito, 9 hotlines pra lidar com pessoas suicidas no Brasil inteiro. Apenas em capitais, e nenhum deles é 0800 (ou, pelo menos, essa era a situação quando o livro foi lançado por aqui, em 2009). E ele causa uma reflexão para a mudança no modo de olhar e tratar as pessoas, afinal, apesar de existirem sintomas de uma pessoa deprimida ao ponto do suicídio, eles nem sempre são evidentes. E ainda mais profundamente, saber que nem sempre o “querer ajudar” é o suficiente. Às vezes, ele pode vir tarde demais.

Os direitos do livro foram obtidos pela Universal Studios em 2011, com Selena Gomez indicada para o papel de Hannah Baker. Apesar disso, o filme ainda está em pré-produção, e sem data para início das filmagens ou lançamento.

Nota: 5 torrões de açúcar

Ficha técnica do livro:
Título original:
Thirteen Reasons Why
Autor(a): Jay Asher
Páginas:256
Editora: Ática
Ano: 2009

Anúncios

Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s